sexta-feira, 24 de abril de 2009

CAOS HISTÓRICO

Quem pesquisa história de cidades e de ferrovias depara-se com uma interminável alteração de nomes que dificultam o seguimento dessa história. Há casos que são verdadeiras pérolas em termos da criação de obstáculos não somente para os pesquisadores quanto para os moradores das cidades naquela época em que não havia uma lei que fosse clara no tocante a se criar e alterar sedes de municípios e distritos, e também seus nomes. Um desses casos (não é o único, não – há vários) é o do município fluminense de Casimiro de Abreu, na região de Macaé. Pelo caso abaixo, imagine o que o um morador desse município deveria pensar na época, para definir, por exemplo, de onde ele era. Imaginem a necessidade de um documento que comprovasse sua origem, por exemplo. Isso tudo, aliado ao fato de que, no meu pensamento, grande parte da população brasileira até hoje (imagine naquela época) não tem a menor ideia co que seja um município ou um distrito, e em muitos dos casos não sabe em qual município reside. Sabe, sim, o nome do bairro, e olhe lá. Nunca vi uma pesquisa sobre o assunto, mas minhas pesquisas constantes levam a esta conclusão.

Vejam que pitoresco – para não dizer trágico – o trecho abaixo, transcrito do site do IBGE referente ao município de Casimiro de Abreu. A transcrição foi feita até o final dos anos 1930, quando a confusão foi grande. O IBGE apenas retrata o que aconteceu. A única razão que posso imaginar para que acontecessem estas aberrações eram as rivalidades políticas locais tentando favorecer junto ao Governo do Estado, que era quem tomava as decisões. Antes, porem, é interessante citar que no município original havia duas localidades. A sede não era onde ela está hoje, mas em Barra de São João, hoje um distrito. A atual sede do município (distrito-sede) é a antiga localidade de Indaiassu, que hoje se chama Casimiro de Abreu. Lembrar também que, até os anos 1930, o município podia ter como sede uma vila ou uma cidade, mas em ambos os casos era uma unidade autônoma, a diferenciação era mais uma questão de status e de número de vereadores na Câmara. Por fim, saber que atualmente o município tem 4 distritos, 2 a mais do que nesse período. A foto acima é do carimbo postal da estação, do acervo de Márcio Protzner, na época parte da Estrada de Ferro do Rio Bonito, logo depois cedida à Leopoldina. Bom, segue o texto:

Casimiro de Abreu
Rio de Janeiro
Histórico:
O atual Município originou-se da antiga aldeia dos índios Guarulhos, fundada pelo capuchinho italiano Francisco Maria Tali. A primeira capela, dedicada à Sacra Família, foi erguida em 1748, passando a freguesia criada em 1761 a chamar-se Sacra Família de Ipuca. Constantes surtos de epidemias na localidade ocasionaram a sua transferência para junto do rio São João, onde foi edificada igreja consagrada a este santo. A nova povoação foi elevada à categoria de Vila, com denominação de Barra de São João, em 19 de maio de 1846. A economia da região, essencialmente agrícola, sofreu grande declínio a partir de 1890. Devido ao seu solo fértil e à introdução de modernos métodos agrícolas, indústrias e pecuária, o Município conseguiu reerguer-se e manter uma boa situação econômica e social. O município adotou o nome de Casimiro de Abreu em homenagem ao poeta, seu cidadão mais famoso.

Gentílico: casimirense

Formação Administrativa:
Freguesia criada com a denominação de Barra de São João em 1800 e pelos decretos números 1, de 08-05-1892 e 1-A, de 03-06-1892, subordinado ao município de Macaé. Elevado à categoria de vila com a denominação de Barra de São João, pela lei provincial número 394, de 15-05-1846, desmembrado de Macaé. Sede na povoação de Barra de São João. Constituído do distrito sede. Instalado em dia 15-09-1859. Elevado à condição de cidade com a denominação de Barra de São João, pelos decretos estaduais número 553, de 20-02-1890 e número 80, de 05-05-1890. Pelo decreto estadual número 112, de 11-08-1890, é criado o distrito de Indaiassu e anexado ao município de Barra de São João. Pela lei estadual número 502, de 09-12-1901, transfere a sede municipal de Barra de São João para povoação de Indaiassu. Pela lei estadual número 516, de 17-12-901, o município de Barra de São João passou a denominar-se Indaiassu. Pela lei estadual número 645, de 15-09-1904, a sede e o município voltam a denominar-se Barra de São João e Indaiassu a condição de distrito.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município já denominado Barra de São João é constituído de 2 distritos: Barra de São João e Indaiassu. Por efeito da lei número 1989, de 10-11-1925, a sede do município de Barra de São João foi novamente transferida para o distrito de Indaiassu. Pela lei estadual número 2013, de 23-12-1925, o distrito de Indaiassu passou a denominar-se Casimiro de Abreu.
Elevado novamente à condição de cidade, pelo decreto-lei estadual número 2335, de 27-12-1929. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município de Barra de São João é constituído de 2 distritos: Barra de São João e Casimiro de Abreu, ex-Indaiassu.

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.
Pelo decreto-lei estadual número 392-A, de 31-03-1938, o município de Barra de São João recebeu a denominação de Casimiro de Abreu, sendo constituído de 2 distritos: Casimiro de Abreu e Barra de São João.

2 comentários:

  1. Que confusão! Em 2007 fui dirigindo do Rio de Janeiro até Vitória e achei a BR-101 muito, muito perigosa. Pista simples, inúmeras curvas de geometria complicada, muitas subidas e descidas, além de uma quantidade exagerada de caminhões pesados. Os acidentes aconteciam às dúzias e nessa travessia vimos vários. No município de Casimiro de Abreu paramos pra fotografar a estaçãozinha de Rocha Leão, então recém-recuperada e funcionando como um museu em local bastante agradável: http://www.panoramio.com/photo/4543579 . Mas essa confusão de denominações parece ser um reflexo da confusão de implantação dessas cidadezinhas entre o mar e a rodovia: não são tão próximas para serem um só município e nem tão suficientemente polarizadas para serem independentes. Queria ter tido tempo para conhecê-las mais detalhadamente. Obrigado por dividir conosco essas informações.

    ResponderExcluir
  2. Esse municipio é só um exemplo. Existem - eu já limuitissimos - muitos mais, talvez até mais confusos!

    ResponderExcluir