terça-feira, 6 de outubro de 2009

O ÚLTIMO FIM DO BARRINHA

O velho Barrinha ainda em funcionamento. Foto J. H. Buzelin

Último remanescente dos trens de longo percurso que utilizavam a Linha do Centro da extinta Central do Brasil, o trem Barrinha, que ligava as estações de Japeri e de Barra do Piraí, no Rio de Janeiro, deixou de circular depois de um grave acidente ocorrido em 1996 que causou a morte de 15 pessoas e deixou 60 feridos.

Ele supria a necessidade de transporte das pequenas cidades e bairros da Serra do Mar e se estendia até Barra do Piraí, depois de passar por estações com as de Paulo de Frontin, Palmeira da Serra, Mendes e Santana da Barra, além de outras menores.

Como era muito conveniente para a privatização das linhas da RFFSA, que ocorreram nessa época, a sua extinção para não “atrapalhar” a circulação dos trens da concessionária que ganhou a concorrência – a MRS – por algum tempo não se falou mais em operar a linha.

Porém, logo depois se voltou a discutir a volta do trem e uma composição foi totalmente reformada no início dos anos 2000 para que voltasse a operar. Sua volta, entretanto, foi constantemente protelada até que hoje se anunciou que ele definitivamente não voltará. Segundo o site do jornal O Dia, o jornalista Ricardo Villa Verde afirma que sua volta “foi descartada pelo governo do Estado. As composições que haviam sido reformadas para voltar a circular no trecho serão deslocadas para o ramal de Guapimirim, que será operado pela Supervia. Por isso, os trens já estão tendo as bitolas alteradas. A informação foi confirmada pelo secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes. ‘A Supervia está mudando a bitola dos trens porque o Barrinha não pôde ser utilizado por causa do transporte de carga da MRS’, explicou o secretário”, afirmando que “não havia como dar previsibilidade de horário para circulação do Barrinha, porque o ramal entre Japeri e Barra do Piraí é extremamente utilizado pela MRS para transporte de cargas”.

O interessante é que as concessões dadas pelo Governo para as linhas brasileiras estabelecem que desde que haja uma concessão para trens de passageiros nas linhas concessionadas para cargas, a concessionária é obrigada a dar licença para a operação desse trem. A volta do Barrinha aos trilhos chegou a ser anunciada para 2007, mas entraves com a MRS Logística impediram seu retorno.

São os interesses privados se sobressaindo sobre o coletivo. E desta situação deduz-se que das duas uma: ou a MRS manda mais que o contrato ou o Governo do Rio está pouco se lixando em fazer o Barrinha rodar. A segunda hipótese é muito mais provável, podem crer.

14 comentários:

  1. REVOLTANTE!!!!!

    O Governo do Estado vai vender o que resta da malha ferroviária, entregando de bandeja para a Supervia o ramal de Guapimirim - que com certeza, já deve estar pensando em extinguir algumas estações do ramal.

    E o Barrinha...bem, o Barrinha vai ficar na memória de quem o viu circular.

    Não sei se me contento com uma possível melhoria no ramal de Guapi ou se fico triste pela pá de cal que foi jogada no sonho de muitos.

    E o ramal de Visconde???

    Abraços revoltados!

    ResponderExcluir
  2. É como eu falei no artigo: se o Governo quisesse mesmo o Barrinha, encostava a MRS na parede com o contrato. Mas para apagar incendios na porcaria de linha de Guapimirim, resolveu usar o trem que já tinha e deslocar para lá. Dane-se o Barrinha - afinal, a população da serra está sem ele há 13 anos! Claramente o raciocínio foi esse.

    ResponderExcluir
  3. Absurdo, simplesmente ...
    Eu, que ainda sonhava em um dia subir a Serra do Mar a bordo deste nostálgico comboio, fiquei na vontade, assim como muitos amigos que conheço.
    Na verdade, vejo neste contexto duas más notícias: a primeira é a extinção definitiva do Barrinha, que deixa saudades em quem o utilizou ou precisava do seu funcionamento para o próprio sustento, como ocorria com vários produtores rurais da região; a segunda má notícia é a futura administração da Supervia no ramal de Guapimirim ! Estive conversando com um funcionário, que prefiro não revelar o nome, de que havia a intenção da CENTRAL logística de aumentar o nº de trens neste ramal e também o retorno do trecho Magé-Visconde de Itaboraí. Foi comentado por ele também que a Supervia não tinha o menor interesse em operar ramais não eletrificados, com trens movidos a diesel, como é o trecho de Vila Inhomirim (que é dela), Guapimirim e o de Itaguaí (que a CENTRAL também pretendia reativar). A idéia seria, caso a Supervia obtivesse concessão para operação destes trechos, de deixa-los minguar, ou em operação deficitária, até que se interditasse ou extingüisse o serviço. Já ouvi falar, até por próprios funcionários da Supervia, que esta teve a intenção de abandonar o ramal de Belford Roxo logo que foi feita a concessão, como foi feito com o de Itaguaí. Neste ponto, estou torcendo para eu estar equivocado em minhas afirmações, e que a Supervia adote o trecho Guapimirim (que tem demanda, e muita ! Mas o governo não dá a devida atenção àquele trecho) e faça a operação de modo decente, porque se eu estiver certo, infelizmente vamos ter outros "Barrinhas" em breve ...

    ResponderExcluir
  4. O problema é que operar como a CENTRAL opera o ramal, e pior ainda, como operava o ramal de Niterói, é um absurdo e um descaso com a população. Então, qualquer linha que ela viesses a operar, como a de Visconde, seria uma m----. Péssima propaganda para o governo. A Supervia, porém, que tenha cuidado: se fizer porcaria também, vai levar chumbo dos usuários.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Hoje recebi uma notícia que parece inacreditável, mas quem sabe ? Por um amigo, que tem uma irmã maquinista e um primo funcionário na Supervia, de que comenta-se nos corredores da empresa, que o governo do estado "obrigou" a empresa a assumir o trecho Saracuruna x Guapimirim e eletrifica-lo, até a copa de 2014 ! Isso foi ouvido numa conversa entre o diretor e um funcionário do alto escalão da empresa, com comentários de mau gosto, inclusive. Agora o mais impressionante, e não sei se é só um boato, é de que a empresa teria se comprometido a reativar o trecho entre Guapimirim e Teresópolis ! A notícia é animadora, mas só vendo ser feito pra acreditar mesmo !

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Ralph,

    Acompanho seu blog e tbm seu site e quero parabenizá-lo pelo excelente trabalho e material disponível. Voltando ao assunto, é muito ruim termos uma política que, desculpa a expressão, caga e anda pro transporte ferroviário. Agora querem nos enfiar goela adentro esse TAV, que para mim não passa de conversa fiada. Se sair mesmo, teremos mais um elefante branco. O fim do Barrinha é triste, pois aquela região tinha muito a crescer com isso. É triste tbm pelo fato de que, penso eu, nunca mais teremos transporte ferroviário de média e longa distância saindo do Rio de Janeiro.Teríamos tbm mais uma opção de ecoturismo ferroviário. O Governo podia - e devia - fazer o que vc falou: pressionar a MRS com o contrato de concessão. Mas, viva os interesses escusos privados sobre a população fluminense, e, porque não, a brasileira.

    Ao comentário do Dado, não acredito em hipótese nenhuma numa eletrificação de ramal para Guapi, imagina então na reativação até Teresópolis. Isso é mais para colocar outros assuntos para debaixo do tapete. Não precisamos ir muito longe: coisa de uns dois meses atrás se falou na reativação do Ramal de Itaguaí. Até agora vc ouviu falar de mais alguma coisa? Nem eu! Vivemos de promessas e, como ouvimos diversas por dia, acabamos esquecendo das coisas. No fim das contas, quem perde e muito somos nós mesmo, infelizmente.

    Abraços a ambos

    Luiz Eduardo

    ResponderExcluir
  8. Concordo plenamente, Luis !
    Ouve-se muito, mas faz-se pouco, quer dizer, NADA !
    Ou pior, do que ainda se tem, se extingüe !
    Políticos ? Prefiro acreditar em OVNIs ...

    ResponderExcluir
  9. Eu acho que o TAV pode até sair, mas é difícil. Afinal, fala-se dele há mais de 40 anos e nunca saiu nada, somente vemos gente ganhando dinheiro com os projetos e "estudos de viabilidade". Quanto ao trem para Teresopolis... hum... acho mais fácil nevar em Belford Roxo. E o Barrinha? Para voltar, vai ter de esperar um governador que resolva investir seriamente em transporte. Veja que os planos para o Rio 2016 não incluem linha nova nenhuma. São Paulo, sem Olimpiadas, está investindo no metrô e na CPTM direto, estou até surpreso. E não é "vai fazer". Está fazendo.

    ResponderExcluir
  10. Verdade Ralph, SP está investindo mesmo em transportes de massa. Ano passado fui a Sampa (capital) e por lá fiquei duas semanas em treinamento. Fiquei encantado com a rede de transportes ferroviário e metroviário de lá. Sinceramente, não sei o que o povo de lá acha, mas pra mim, carioca, que estou acostumado com uma malha metroviária relativamente pequena, dado o tamanho da cidade, e uma rede ferroviária bastante deficiente, acho que devemos aprender muito com Sampa. Indo um pouco mais a fundo de seu comentário, ainda teremos muitas surpresas ruins - tomara que eu esteja MUITO errado - com relação a infra estrutura de transportes.

    Ao Dado.

    Ví alguns vídeos seus no Youtube e gostei muito. Vou te deixar meu e-mail para nos comunicarmos. Gosto de trilhas. Segue: luiz_rangel@yahoo.com.br

    Abraços a ambos

    ResponderExcluir
  11. É PABLO, VEJA SÓ O QUE ACONTECEU PELO MOTIVO DO POVO NÃO LUTAR PELOS SEUS DIREITOS, E COBRAR A VOLTA DO TREM BARRINHA QUE TEVE ATÉ DATA PREVISTA PARA VOLTAR E AGORA, PERDE DEFINITIVAMENTE A COMPOSIÇÃO PARA O RAMAL DE GUAPIMIRIM, QUE A PARTIR DE JANEIRO PASSARÁ PARA A SUPERVIA E JÁ ESTÃO TROCANDO AS BITOLAS DO EX-TREM BARRINHA PARA OPERAR EM GUAPIMIRIM, QUE VERGONHA, ESSE POVO QUE NÃO LUTA... POIS SE LUTASSE MESMO, NÃO TERIA MRS, ANTT E NADA MAIS... ESTARIA ATÉ CIRCULANDO HOJE... VEJA A NOTÍCIA DADA PELO SECRETÁRIO JÚLIO LOPES:

    ResponderExcluir
  12. eu sou da cidade de mendes! nosso transprote está uma droga se este trem voltase seria uma maravilha para nossa cidade e a população. ouso muitos cometarios aqui em mendes e muitos deles e a volta do trem barrinha q eu queria ter a oportunidade de andar mais já q só utilizei só 3 anos da minha vida.
    a população pede: volta trem barrinha

    ResponderExcluir
  13. Na verdade este carro que seria do Barrinha está lá jogado na Leopoldina até hoje e nem mudança de truques para bitóla métrica foi feita. Escrevam o que eu estou escrevendo hoje: o destino deasta composição reformada sabe qual será: sucata e maçarico e nada mais disso! Escrevam o que eu escrevi e vocês me darão razão infelizmente. Isso me revolta muito!

    ResponderExcluir
  14. E pior os trilhos de ligação leopoldina São cristovão foi retirado pelo canteiro de obras do metro linha 4 sul empresa Odebrecht e agora. Moro Em Engenheiro Pedreira e só vi o barrinha e ainda não conheci Guapimirim!!!Espero passar de trem em ramais eternizadas e históricos,que mesmo escaço ajuda a população local.Á quase me esqueço a estação de Japeri esta em obras ligando a antiga estação do barrinha a plataforma do Japeri-Central devemo ter esperança sabendo que varias empresa se juntaram e compraram a parte da Supervia em assoes.Essas são Andrade gutierrez,Galvão e Odebrecht. SERA QUE VAI MELHORA???

    ResponderExcluir