segunda-feira, 5 de outubro de 2009

GUIA LEVI – UM RETRATO DO PASSADO DOS TRENS DE PASSAGEIROS

Quem é paulistano ou carioca, tem mais de 40 anos e nunca viu um Guia Levi nas mãos? Publicado até 1984, o Guia Levi, pelo menos entre os anos de 1908 e de 1979, era uma publicação mensal que se parecia com um guia de ruas como os de hoje no formato e na grossa lombada (se bem que os guias de hoje são bem mais grossos), mas era originalmente um guia que dava os horários de trens do Brasil inteiro.

Eu tenho alguns, mas nenhum é remanescente dos que eu tive nas mãos num passado distante; foram todos comprados nos últimos treze anos. Os mais antigos que vi foram os de 1908 a 1910, encadernados na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Já eram mensais. E, segundo quem os utilizava, bastante confiáveis, embora em guias mais recentes (anos 1960 e 70), eu tenha encontrado erros crassos – a publicação de horários de uma ou outra linha que já não funcionava mais. No entanto, estes erros não deviam ser por culpa dele e sim da desorganização das ferrovias que já começava a existir nessa época. Elas eram quem forneciam os horários para os Guias Levi.

De 1980 a 1984 os guias passaram a ser anuais, o que menos tinham eram horários de trens. Já não mostravam os horários do Nordeste e do Sul do país; somente de São Paulo, Rio, Minas e Espírito Santo. Está certo que eram poucas linhas que ainda funcionavam, mas elas existiam também nos outros estados. Depois disso acabou.

Ele não se adaptou as novos tempos. Embora desde os anos 1950 ele tivesse mapas de São Paulo (ou do Rio, dependendo de onde era vendido) dividido em páginas, como nos guias atuais, e também horários de ônibus, bondes, indicações de pontos turísticos etc., as diagramações dos guias de 1979 e dos de 1908 não eram tão diferentes. A capa, por exemplo, chegou a ser considerada “cult”, tendo sempre um mosaico de propagandas e uma locomotiva a vapor no canto esquerdo superior. Também vinha sempre com um mapa dobrável que mostrava de um lado todas as ferrovias do País e de outro o mapa da cidade de São Paulo ou Rio.

Não se adaptando às mudanças do tempo, ele começou a perder vendas: os outros guias, anuais, desenvolveram mapas por páginas coloridas e índices de ruas mais fáceis de ser lidos, além de informações mais bonitas à vista do leitor, papel melhor etc. Alguns davam inclusive os horários dos trens de São Paulo.

Hoje, os Guias Levi são peças bastante difíceis de ser encontradas. Apesar de terem sido emitidos muitos diferentes — afinal, foram mensais por 80 anos —, não se os encontram em sebos ou antiquários com a facilidade que seria de se esperar.

7 comentários:

  1. Oalá Sr. Ralph,

    Tenho em maõs, poer herança das coisas de uma velha tia-avó, um tal "guia de São Paulo", editado por um certo "Modesto de Donato". A edição é de 1956, e ao que parece era um guia anual. Traz dicas para o dia a dia, tais como, "como alimentar um doente de cama", "fazer torniquetes em membros quebrados", além de dicas turísticas de SP, como "regatas no Tietê" e "como desfrutar do aprazível Parque do Pedro" (ué, lá era um parque como o Ibirapuera?). O forte do guia, porém, era a catalogação da ruas (onde começava, onde terminava, quais a linhas de bonde ou ônibus - e, acredite, o percentual de bairros servidos por conduções diretas ao centro da cidade era mais ou menos o seguinte: 90% bonde e apenas 10% ônibus (as linhas eram escassas. Mas, a principal informação desse guia era, mesmo, o horário de partida dos trens. Por acaso o Sr. já ouiviu falar desse guia? Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Não conheço. Mas houve outros guias efêmeros que também traziam informações sobre trens. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Senhor Ralph,sou Carioca 77 anos e já tive um ghia Levi do Rio de Janeiro,não lembro que ano,e lembro que continha o nome e itinerário de todas as linhas da cidade do Rio.
    Pergunto: Se vc possuir algum que tenha estas informações poderia mandar para mim ? eu lhe pagaría com o maior prazer.
    Açradeço a sua atenção.
    Meu I-mail: juliocesarabello@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. Prezado amigo Ralph, saudações!

    Aqui é o seu amigo Hélio dos Santos! Tudo bem contigo? Espero que sim! Primeiramente, gostaria de parabenizá-lo por mais esta iniciativa, da criação desse blog que, com com informações importantíssimas e de grande conteúdo histórico vem enriquecer ainda mais o nosso conhecimento histórico a respeito das grandes ferrovias que marcaram época, uma era de ouro em nosso país!

    Gostaria de saber se o amigo, por acaso, possui um Guia Levi da E.F.Vitória a minas, de 1975 ou mesmo de 1980 e que queira compartilhar comigo, se assim lhe apraz! Caso possua um e se realmente desejar compartilhá-lo comigo, entre em contato comigo pelo e-mail: heliojr9@hotmail.com

    Desde já agradeço-te!
    Um cordial abraço!

    Hélio dos Santos

    ResponderExcluir
  5. COMO POSSO CONSEGUIR OS NOMES DE TODAS AS ESTAÇÕES DE TREM DA COMPANHIA PAULISTA DE ESTRADA DE FERRO DE MARILIA ATÉ PANORAMA ´POIS A PAULISTA COLOCAVA NOMES DO ALFABETO NAS ESTAÇOES.
    AGRADEÇO INFORMAÇÃO
    jair

    jdsy@ig.com.br
    jdsykiss@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho um guia levy muito antigo, não tenho como ver o ano pq esta encapado, mas é realmente muito antigo devido a forma a escrita. tenho os copos do vera cruz e santa cruz, lanternas do chefe o trem, picotador antigo com timbre da rede ferroviaria e revistas e livros da ferrovia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dependendo das linhas existentes e outras informações no guia, dá para ter pelo menos uma ideia do ano. Em alguns guias levi, a data onstante na capa é reproduzida internamente no guia, ou na 1a página ou na 1a página após as páginas iniciais de anuncios.

      Excluir