sábado, 13 de novembro de 2010

UM DIA O TREM PASSOU POR AQUI


O título desta postagem é também o de meu segundo livro, o primeiro sobre o assunto ferrovias e escrito e publicado em 2001.

O Brasil teve cerca de 38 mil quilômetros de ferrovias. Hoje tem 28 mil, sendo que boa parte - talvez um terço disso - não está sendo utilizada, estando estes trechos abandonados por falta de interesse das concessionárias. Já os trens de passageiros ocupam hoje menos de três mil quilômetros de toda essa malha.

Pedro Leal Dutra - 2010

Nos dez mil quilômetros arrancados e nos aproximadamente nove mil quilômetros que permanecem em seu lugar, mas que não estão sendo usados, a expressão "um dia o trem passou por aqui" é mais do que válida. Muita gente olha para esses locais, com ou sem trilhos, com construções bem ou mal conservadas, ou mesmo já demolidas, com saudade de um tempo que não era necessariamente melhor do que hoje, mas que, sem dúvida, oferecia uma oportunidade de viagens por locais hoje não mais trafegáveis, no meio de fazendas, em serras de vistas maravilhosas e outros pontos.

Stenio Gimenez - 2010

Trechos como os da Serra de Botucatu, onde trens trafegam - mas não de passageiros - na foto acima, de onde, desta linha da Sorocabana, podia-se ver ao longe o movimento de trens na linha da Paulista, a quilômetros ao norte, em Torrinha.

Pedro Leal Dutra - 2010

Como o da pequena parada de São Marcos, por onde um dia passaram as linhas da Leopoldina em Minas Gerais - foto acima - já sem trilhos.

Ralph Giesbrecht - 2004

Como o da serra de São João, em Santa Catarina, entre Porto União e Caçador - outra foto acima - com trilhos e sem movimento ferroviário.

Nilson Rodrigues - 2008

Como o do trecho de viadutos, num local denominado Viaductos, ao norte do Rio Grande do Sul - com trilhos e sem tráfego nenhum, foto acima.

Ralph Giesbrecht - 2005

Finalmente, para não tornar esta postagem interminável, como em Sítio Novo, lugarzinho paradisíaco no interior baiano, onde mesmo trens cargueiros são raridade hoje em dia, visto acima.

Enfim: um dia, o trem passou por aqui, por ali, por acolá - e nós ficamos somente a ver navios.

8 comentários:

  1. Olá Ralph, gostaria de saber se o livro "Um dia o trem passou por aqui" ainda está disponível. Caso positivo, como faço para adquiri-lo?
    Att.
    Paulo Irineu Barreto
    Uberlândia MG
    pauloirineu@bol.com.br

    ResponderExcluir
  2. UM DIA O TREM TAMBÉM PASSOU EM PIQUET CARNEIRO-CE!
    Mas isso já faz tempo, e, pela última vez, deu-se, tal fato, no mês de dezembro de 1988.
    Agora, neste 2011, anuncia-se, para
    breve - talvez em julho! - a retirada dos trilhos da velha ferrovia, antiga EFB (Estrada de Ferro de Baturité). Porém, Ontem, 18 de julho de 2011, no curso da inauguração da nova sede da SEJUC (Secretaria da Cultura, Juventude e Desporto) assegurou-me o edil desta municipalidade, Sr. Expedito José do Nascimento, que já está em curso Projeto que visa à permanência do trecho que liga Piquet Carneiro ao distrito de Ibicuã (antigo Miguel Calmon).
    Pelo que se depreende, interessa, assim, ao Governo do Município, conservar e oferecer manutenção ao pequeno trecho da vetusta malha ferroviária (algo em torno de 18km) para efeito de "passeio turístico".
    É ver para crer!
    Em todo caso, como diriam os romanos: ALEA JACTA EST!
    Osmar Lucena Filho
    Historiador e Memorialista
    Piquet Carneiro - CE

    ResponderExcluir
  3. Osmar: ou se faz um trem mesmo, decente, ou esqueça. O ramal é muito curto para justificar um trem. Já trem turistico é um "me engana que eu gosto". Não serve para nada, só dá trabalho e acaba num instante.

    ResponderExcluir
  4. Ralph tem como eu adquirir seu livro UM DIA O TREM PASSOU POR AQUI, MESMO QUE SEJA EM CÓPIA OU cd?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por enquanto não, unknown. Mas se v. deixar seu e-mail, quando tiver entrarei em contato. Grato

      Excluir
  5. Ralph, mesma situação anterior, quando tiver o livro por favor informe, grato.

    ResponderExcluir
  6. Ralph, por favor informe quando for possível adquirir o livro Um Dia o Trem Passou Por Aqui, grato.

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Ralph, meu nome é Marshal Marangoni e gostaria de saber se ainda é possível adquirir o livro Um Dia o Trem Passou Por Aqui? Caso sim, segue meu e-mail para que me informe como posso fazer:
    marshalsm87@gmail.com
    Sou servidor do IBGE em Uberaba, e em tantas saídas por nossa região, fico cada vez mais perplexo por ver que um pedaço de nossa história foi arrancado junto com as ferrovias que aqui existiam...
    Um abraço e parabéns pelo seu blog e pelo site Estações Ferroviárias. Visito frequentemente.

    ResponderExcluir