sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O RAMAL DE AMPARO RESSURGIRÁ DAS CINZAS?

Ao fundo, a velha estação de Pedreira. Alguém consegue imaginar um trem passando por aqui hoje em dia?

Surgem notícias estranhas... os prefeitos das cidades do antigo ramal de Amparo anunciam a reativação da ferrovia, para passageiros e cargas.

O mais estranho é que essa notícia somente apareceu em jirnais da região e não em São Paulo, Capital. Dirão os senhores, a capital se interessaria por isto? Não sei (eu me interesso), mas sempre é notícia.

O grande problema: os trilhos foram arrancados em 1967. O velho ramal - inaugurado em 1875 juntamente com a linha-tronco - saía de Jaguariúna, passava pelos municípios de Pedreira, Amparo e Monte Alegre do Sul. Além das estações centrais destes municípios, havia ainda as de Arcadas, Três Pontes e Reversão.

Para além de Monte Alegre, a linha se estendia até Socorro, passando por três etações intermediárias. A notícia, no entanto, se refere ao trecho Jaguariúna-Monte Alegre. Gostaria que vingasse, mesmo. Mas não acredito. Já estou cético demais para essas notícias.

Primeiro, há trechos por onde passava o ramal em que ninguém recolocaria trilhos. Um exemplo? Os trilhos passavam pelo centro da cidade de Pedreira numa avenida estreita que é hoje parte da rodovia Jaguariúna-Amparo.

Há trechos complicados, como o de Três Pontes. Ainda por cima, o ramal passa pelo topo do divisor de águas dos rios Jaguari e Mogi-Guaçu.
Magnífico trecho por onde passava o ramal de Amparo. Seria esse rio o Jaguari?

O leito teria de ser modificado. Isso ocorrendo, será que seria viável em termos de pegar a maior parte de passageiros para justificar a linha? De fato, esse teria de ser um dos trens regionais de que se fala hoje em dia. Tirar a linha do centro de Pedreira significa passar por um local mas afastado e com certeza com menos usuários. Por mero acaso, estive em Pedreira neste domingo que passou. Não consigo imaginar um TUE passando pelo centro de Pedreira.

Ah, sim, tem de ser um TUE - Trem Unidade Elétrico. Se não, não justifica de forma alguma. E essa história de cargas? Difícil. Em trechos curtos, já há muito tempo não se transportam cargas por ferrovia. Aliás, esse foi o principal motivo da desativação do ramal em janeiro de 1967.

Não agouremos. De repente, alguma ideia genial e um projeto bem bolado pode ser o que se estuda e eu queimo minha língua. Há trechos lindos por onde o trem passava. Afinal, eu gostaria de ver o trem por lá. Mas que não se iludam com bobagens tipo "trem turístico" ou trens como existiam nos anos 1960. Aí, sim, seria dinheiro jogado fora. Esse tempo, felizmente ou infelizmente, já passou.

4 comentários:

  1. Ralph, o rio da cachoeira é o Camanducaia. Ele vem de Minas, cruza a rodovia Capitão Barduíno (Bragança-Socorro), segue para Mostardas, Monte Alegre do Sul e Três Pontes. Creio que ele deve desaguar no Jaguari; infelizmente o rio "desaparece" de repente no Google Maps. O ramal de Socorro o acompanhava entre Três Pontes (pelo menos) até próximo da ponte da rodovia Capitão Barduíno, quando a linha férrea faz uma curva para o norte, rumo a Socorro. As antigas pontes de aço desse trecho da ferrovia foram feitas sobre ele.

    ResponderExcluir
  2. Boa Noite, Ralph, eu sei que você sabe , mas como existe muit agente desligada sempre é bom lembrar. 2012 é ano de ELEIÇÕES, portanto eleitores de Amparo , tomem muito cuidado com as notícias , elas neste sentido são meramente caçadoras de votos . ABRAM OS OLHOS.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Ralph, eu acompanho sempre noticias sobre trens de passageiros, adoro demais, moro aqui em Pedreira e eles lutam pela reativaçao já à um bom tempo, as grandes empresas Ype, Seara e Shefa localizadas em amparo pretendem transportar seus produtos pelo rama, aqui o link da materia:
    http://saopaulotremjeito.blogspot.com/2012/01/amparo-sp-devera-voltar-contar-com.html,
    junto com cargas resolveram transportar passageiros, mas realmente ainda duvido k saia do papel, e o trecho de Pedreira se torna inviavel!

    ResponderExcluir
  4. Seria ótimo se isso fosse verdade. Pouco provável, entretanto, pelos valores das obras apontados nos noticiários. Importante, porém - ao menos do ponto de vista do sindicato - que discussões como essas estejam acontecendo aqui e acolá. Que está será a década da retomada das ferrovias não temos muita dúvida. A saber onde, como e a serviço de quem.

    ResponderExcluir