quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A CONFUSA HISTÓRIA DE CARAPICUÍBA

Estação ferroviária antiga de Carapicuíba, demolida em 1977 para a construção da atual. A foto é de 1967

Leio muito sobre história de São Paulo (cidade) e também da Grande São Paulo, nesta mais particularmente da sua parte oeste, que até 150 anos atrás era composta de dois municípios apenas: Parnaíba e Cotia.

Um dos municípios dessa região criados mais recentemente (no caso, 46 anos atrás) foi Carapicuíba. Criado em 1964, até 1935 sua sede não passava de uma pequena vila ferroviária numa região rural, que estava em território de Parnaíba.
Carapicuíba em 1936, entre Barueri (então parte de Parnaíba), Cotia e Osasco (este ainda parte de São Paulo)

Retornando mais ainda no tempo, a primeira referência ao nome foi a fundação da Aldeia de Carapicuíba, fundada pouco depois da vila de São Paulo, ainda no século XVI. Por que foi-lhe dado esse nome, saberá Deus (ou os jesuítas e índios da época), mas o fato é que ela fica próxima de um pequeno rio que tem seu nome. Esse rio, hoje um córrego altamente poluído, faz a divisa dos municípios de Osasco e Carapicuíba até a sua foz no rio Tietê, depois de passar ao lado da estação Miguel Costa da atual CPTM.

No final do século XIX, começa a aparecer o nome de uma grande fazenda na região, de nome Fazenda Carapicuíba. Esta, no entanto, não chegava ao que parece até a aldeia, e seu nome muito possivelmente derivava do córrego que parece ter sido o seu limite leste. Nessa época, seus donos eram a família Prado, que a usava como invernada de gado e de muares vindos com as tropas do Rio Grande do Sul. O Barão de Iguape, pai de Dona Veridiana, foi um dos maiores mercadores de tropas do Brasil, vindo daí a fortuna da família.

Entre o final do século XIX e o início do XX, fazenda passou de mão algumas vezes, acabando nas mãos de Delfino Cerqueira. A fazenda, então, estava localizada em dois municípios, São Paulo e Parnaíba, e a divisa deles estava mais para leste do rio Carapicuíba, em Quitaúna, e depois, mais a oeste desse rio, não muito longe da atual sede de Carapicuíba. Essas variações de limites eram comuns e aconteciam por motivos políticos. Cerqueira conseguiu a autorização da Prefeitura de Parnaíba para construir um saladero (matadouro) próximo à estação ali construída pela Sorocabana em 1921 para o embarque de lenha.

Carapicuíba em 1949, entre Barueri e Quitaúna

Embora a ferrovia passasse por ali desde 1875, não havia nenhum interesse para a construção de uma parada naquele ponto pois a região era bastante deserta. Somente foi criada com a disposição do embarque de lenha. A parada nem tinha o nome de hoje. No início era apenas Quilômetro 22; depois passou a se chamar Sylviânia - homenagem a Sylvio de Campos, irmão do Governador Carlos de Campos e proprietário de terras também por ali. Somente por volta de 1928 a parada pegou o nome de Carapicuíba, não por causa da aldeia, longe demais dali, nem pelo córrego, mas sim pela fazenda de Cerqueira.

Foi por isso que, em minha postagem do dia 21 de dezembro último, O "Passado" da CPTM, às estações de Miguel Costa e de Carapicuíba foram atribuídos os nomes de 110 anos antes os nomes imaginários de Rio Carapicuíba e de Fazenda Carapicuíba. Afinal, nas atas da Câmara Municipal de Parnaíba, somente no ano de 1937 é que houve a primeira menção a uma rua em Carapicuíba, que começava então a esboçar uma pequena vila urbana.

No final dos anos 1940, Barueri emancipou-se de Santana de Parnaíba - com este nome desde 1944 -  como município e Carapicuíba foi anexado a ele como distrito. Nem por isto o córrego Carapicuíba passou a ser a divisa entre São Paulo e, agora, Barueri. Isto somente aconteceu quando da separação de Osasco de São Paulo (1961) e com a emancipação de Carapicuíba como município (1964), quando  o córrego passou a dividir este de Osasco.

Carapicuíba em mapa do final dos anos 1950, ainda como distrito do município de Barueri. Notar que a divisa com São Paulo era no córrego da Pedreira e não no córrego Crapicuíba, e que a área do município era menor do que a atual, principalmente ao sul, divisa com Cotia. Aldeia de Carapicuíba ainda pertencia a esta última

Foi também somente em 1964 que a já quadricentenária Aldeia de Carapicuíba passou a fazer parte do município de Carapicuíba. Até então, era parte integrante do município de Cotia, muito próxima à divisa municipal.

Portanto, mais uma prova de que é muito fácil se fazer confusão com nomes de cidades, vilas, distritos, estações, municípios etc. com histórias como esta. No único livro que conheci sobre a história de Carapicuíba - o de Pedro Tenório, Carapicuíba, Passado e Presente - 1580-2003, de 2003 - o fato da cidade ter sido durante mais de cem anos parte integrante de Parnaíba não foi mencionado uma única vez sequer, nem citado o fato de a Aldeia não pertencer à cidade ou do município que a continha antes (Parnaíba e depois Barueri) nenhuma vez.

18 comentários:

  1. Olá Sr.Ralph.
    Sobre a postagem de 22/12, aquela foto n° 2, parece bem com aquela parte da Castelo onde há um morro que divide (hoje) as duas pistas desta rodovia, já próximo a Sorocaba.

    ResponderExcluir
  2. Pode ser parecido, mas lembre-se que a estrada construída em 1992 não era a Castelo, mas sim a estrada S. Paulo-Parnaiba-Pirapora-Cabreúva-Itu. Portanto, é algum trecho nesta, que por algum trecho foi um trecho da Mal. Rondon,

    ResponderExcluir
  3. Ola Sr. Ralph,

    Uma duvida: o pessoal mais antigo de Barueri comenta uma "lenda" que quando da emancipacao de Carapicuiba esta abriu mao das terras da entao Fazenda Tambore e arredores (atual Alphaville / Tambore) por "considera-las sem valor", as deixando sob a jurisdicao de Barueri.
    Nao sei se tal historia e veridica, mas ao observar um mapa do municipio de Barueri realmente e estranha a permanencia das atuais terras de Alphaville nesta cidade, com a qual nao possuia qualquer ligacao terreste e estava isolada do resto do Municipio pelo Rio Tiete.
    Poderia comentar se esta historia tem algum fundamento?
    Grato e abs,

    ResponderExcluir
  4. Realmente, nunca ouvi falar, mas merece ser averiguado. Porém, não acredito muito nisto: as terras já eram do antigo distrito de Barueri desde a implantação deste em 1918. Havia ligação terrestre pela atual Estrada da Aldeia, que por sua vez era parte da estrada do Paiol Velho, que a ligava com a fazenda. Sim, havia balsa no Tietê, mas lembre-se também que a Castelo Branco já estava em construção nesta época e ela seria a ligação terrestre em poucos anos.

    ResponderExcluir
  5. Sr. Ralph,

    Grato! Concordo com a sua posicao que essa historia de Carapicuiba ter "cedido" as atuais terras do Alphaville / Tambore serem apenas lendas.
    Uma curiosidade (ate como sugestao para um futuro post em seu blog)....quais eram as divisas aproximadas da entao Fazenda Tambore? Moro na Av. Marcos Penteado Rodrigues (Tambore) proximo a Paiol Velho e sempre fico curioso se este trecho fazia parte da antiga Fazenda Tambore,
    Abs

    ResponderExcluir
  6. O Paiol Velho fazia parte da Fazenda Tamboré, sim.

    ResponderExcluir
  7. Ola Ralph,
    Muito interessante seu blog. Parabens!
    Vi que voce postou alguns mapas antigos da regiao e gostaria de lhe perguntar se em algum deles a referencia ao Corrego do Campo Queimado. Estou fazendo um estudo de valor historico e os mapas que tenho em maos nao sao tao detalhados como os seus. Grato desde ja

    ResponderExcluir
  8. Acho que não... teria de verificar, realmente. É em Carapicuiba? Conheço o nome de muitos córregos da região, mas desse eu jamais ouvi falar!

    ResponderExcluir
  9. Ola Ralph, obrigado pelo seu retorno!
    No caso do corrego do campo queimado, acredito que seria localizado ao norte da Fazenda Tambore (seria talvez na parte nao visivel do mapa que voce tem publicado neste post de Carapicuiba 1949). Estou trabalhando em um estudo de uma transcricao que consta o seguinte texto:
    "(...) o dito sitio Capoava, começa numa porteira junto a um valo na estrada que do sitio vai ao quilometro dez, e descendo por este valo, apanha as cabeceiras de uma gruta pela qual desce ate encontrar a barra do córrego do Campo Queimado, continuando a descer o mesmo rio, deste ponto parte uma linha reta dividindo ate aqui com terras de João Antonio Gonçalves, daí seguindo o espigão levando águas vertentes ate onde terminam as terras d confrontante Simas Pimenta (...)”.
    Qualquer referencia, mapas ou maiores detalhes seriam de grande valia. Grato desde já!

    ResponderExcluir
  10. Caro Kikossauro: posso verificar isto somente quando voltar de viagem, estou fora. Mas verei. Mande seu e-mail, por favor

    ResponderExcluir
  11. Eu sempre ouvi esta história de que as terras onde é a atual alphaville realmente pertenciam a Carapicuiba e que os vereadores na época abriram mão dessa terras que passaram para Barueri. Eu sempre ouvi isso e sempre critiquei e escomunguei este ato, e agora li em comentários acima não ser verdade. Será pois Barueri não tem nada a ver com alphaville?

    ResponderExcluir
  12. Qualquer mapa da região e de qualquer época mostra as terras onde foi criado Alphaville no município de Parnáiba desde muito tempo. Em 1918, com a criação do distrito de Barueri, passaram para este distrito mas ainda sob administração de Parnaiba. Carapicuiba é muito mais novo. Isso tudo é bobagem, historicamente comprovado

    ResponderExcluir
  13. Oi Ralph sou estudante de Logística pela Fatec de Carapicuíba, estou fazendo um trabalho sobre o desvio ferroviário, que passa aqui em frente a Fatec o antigo ramal do IBC, gostaria de algumas informações e documentos dessa época, que registram o desvio ferroviário e a estação de Carapicuíba, pode me indicar algum contato ou alguma fonte?

    ResponderExcluir
  14. Caro Ralph,

    Tudo bem?
    Parabéns pelo Blog.
    Poderia também abordar os antigos ramais lenheiros. Lembro que havia um abandonado no alinhamento da CAstelo Branco, em Mairinque, na altura de Dona Catarina... km 65 da Castelo.
    Aproveitando, sabe aonde posso encontrar os mapas que vc ilustra a matéria? Estou fazendo um estudo de relevo e bacia hidrográfica da região de Itapevi, Jandira e Barueri e vi que os mapas podem conter estas informações que preciso.

    ResponderExcluir
  15. Bom dia!!
    Adorei o seu Blog, mas tem muitas coisas para ver e irei demorar...rsrs
    Sr. Ralph Mennucci gostaria de ver com você se tem a possibilidade de enviar para mim, fotos antigas de Carapicuíba, contando a sua história, em Março completaremos 50 anos de Emancipação. Seria de grande valor para mim que resido em Carapicuíba, você pode me ajudar?
    Abraços
    Tânia Siqueira

    ResponderExcluir
  16. Parabéns Ralph Mennuci, nasci em Osasco, residi em Carapicuíba muitos anos, e há 06 anos resido na Aldeia de Barueri, sou bastante interessado na história de Carapicíba e Região e suas pesquisas são bem enriquecedoras e elucidativas. Confirme por favor, achei bem interessante e desconhecia esta informação que uma pequena faixa de terrotório de Carapicuíba faz divisa com município de Jandira, pondere.

    ResponderExcluir