quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

VARPA E QUATÁ, A DECADÊNCIA DE UMA REGIÃO

Casas de madeira vazias na fazenda Palma
Há muitos anos atrás li sobre a colônia leta de Varpa, que hoje fica em Tupã. Li também sobre a saga dos imigrantes da Letônia que chegaram ao local em 1921 e desceram na estação de Sapezal, próxima à de Paraguaçu Paulista, e irem de uma forma ou de outra pelo meio da mata de então até chegarem ao local que denominaram com o nome de "espiga", mas em leto, naturalmente.

Sede da fazenda Palma
Em 1960, Varpa já estava semi-abandonada. Os descendentes dos imigrantes começavam a se dispersar e a colônia, com casas de madeira e de alvenaria em estilo leto, foi se esvaziando. Na verdade, são duas Varpas: a mais próxima da estrada Tupã-Quatá, que é um bairro, mesmo, com ruas asfaltadas e algum comércio, e a que fica na fazenda Palmas, particular e cujo dono cuida das casas, estas todas de madeira, que lá ficam, muitas ainda vazias, mas bem cuidadas externamente. Ou seja: alguma coisa mudou em Varpa desde que eu soube de sua existência, numa reportagem de jornal de cerca de 10 anos atrás.

Casa de alvenaria em Varpa
Hoje,Varpa é considerada um ponto turístico. Sempre quis ir ao local. Porém, me decepcionei bastante quando estive lá anteontem. Não que não seja um local agradável e bonito, mas, para algo que se chama de "ponto turístico", falta muito, mesmo. Se v. não vai lá para pescar no rio do Peixe - muito próximo à vila - ou para se banhar na tal cachoeira da fazenda da Palma, não há nada para fazer e pouca coisa para almoçar, por exemplo. Em dez minutos você vê tudo. Ou seja: coisa de turismo brasileiro, sem estrutura alguma. Mas valeu pela revigoração do bairro, que, desde 1921, passou pela administração de diferentes municípios e hoje é subordinada a Tupã, como distrito.

A antiga estação de Quatá: construída nos anos 1950 em lugar da anterior, é muito feia e hoje está totalmente "lacrada" para evitar invasões
Pior mesmo é Quatá: cidade seguinte a Varpa, é bem pequena e acaba na linha da ex-Sorocabana, tem uma estação tipo "caixotinho", feia, construída num dia de pouca inspiração para substituir a velha, menor mas muito mais bonita. Está abandonada, enquanto os armazéns foram restaurados. A cidade é árida e com poucas ruas. Como sede de município, jamais deveria sê-lo. É a farra dos municípios do Brasil. A cidade é claramente estagnada. Poucas construções antigas e razoavelmente bonita: o mais são casas antigas muito descaracterizadas, com o que é muito comum na região: a substituição de janelas de madeira originais e bonitas por janelas de ferro menores, feias e que em nada combinam com a arquitetura original. O resto são casas mais novas sem estilo algum, como em qualquer lugar o é hoje.

Casa em Quatá, uma das poucas que ainda mantém seu aspecto original
Enfim, em Quatá, não foi nada fácil achar alguma coisa para fotografar. De lá peguei de novo a estrada e fui em frente, numa tarde quente deste final de dezembro (mais especificamente, anteontem).

Estádio de futebol de Quatá.

Rio do Peixe, no ponto em que divide os municípios de Quatá e de Tupã

6 comentários:

  1. Ola Raph

    Deste seu "São Paulo tour" fico com as fotos mais bonitas...as dos rios...ja mandei uma cópia para um primo la na Itália......

    Daniel Gentili

    ResponderExcluir
  2. Muito legal saber da existência dessa Varta.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá meu amigo, a sua postagem já não coincide mais com a realidade de Quatá. A foto da casa antiga não existe mais, e dará lugar a uma moderna construção de uma agencia da Caixa Economica Federal.A estação foi totalmente reformulada.Quatá já conta com construção super modernas como a nova sede da APAE com valor estimado de 2 milhões e já foi inaugurada em 30 de Novembro de 2012. Também a nova OAB de Quatá foi construida com padrões de cidade média, sendo uma das mais bonitas do Estado de São Paulo. O PIB de Quatá em 2010 ficou entre os Dez mais maiores dos 53 municipios da 10ª RA de Presidente Prudente. Te peço encarecidamente que tire este post que já está ultrapassado. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena que, para construir algo novo, tenha de se derrubar algo velho e bonito. É a prova de que a cidade não aprendeu ainda a conservar sua história, e acha que tudo que é velho tem de ser derrubado

      Excluir
  5. Concordo com vc que nao deveria ser turistica... mas qto a estar parada, deveria estar mesmo para a preservação das caracteristicas letas. Meu avô foi um desses immigrantes que la´chegou e minha infancia foi banahando-me mnas ferias nas cachoeiras de nosso sitio , às margens do rio do peixe...Uma pena que os jpvens se foram, os idosos morrendo e a história se perdendo. deveria ser, sim, Patrimonio culturarl... enfim... Brasil

    ResponderExcluir