quarta-feira, 3 de outubro de 2012

A SIMPÁTICA CIDADE DE ALEM PARAIBA, MG

8:30 da manhã de domingo. Passando em frente ao hotel, onde eu estava postado no terceiro andar, vagões do trem de bauxita seguem vazios para serem carregados em Cataguases. Sentido para a direita da foto.

Minha visita à pitoresca e bem-cuidada cidade de Além Paraíba, onde cheguei no sábado, dia 29 último, e saí no dia 30 pela manhã, é mostrada aqui em algumas fotografias que tirei na manhã deste último dia, após um tour pela cidade. Ela fica às margens do rio Paraíba do Sul e, para quem vai de carro de São Paulo e da região de Barra do Piraí para o norte de Minas e a Bahia, passagem obrigatória. Ali acaba a BR-393, que vem de Volta Redonda, e começa (de novo) a BR-116, que segue até o norte do País.

Bonita casa, certamente dos anos 1920 ou 30.

Como em muitas cidades mineiras, especialmente onde passam e passavam os trilhos da desaparecida Estrada de Ferro Leopoldina, os trilhos passam pelas ruas próximas ao centro da cidade, antes com comboios curtos e trens de passageiros, hoje com comboios bem mais longos e sem passageiro algum. A seguir, fotos tomadas por mim.

A avenida arborizada. A pista da esquerda, que não dá para ser vista pois há um córrego no centro, divide a pista com a linha férrea.

Café da manhã no hotel.

Lá vem o trem.

A locomotiva passa em primeiro lugar, claro. Segue para a direita. Ao fundo, uma bela praça arborizada.

A rotunda de Porto Novo do Cunha, já sereramente arruinada. Em alguns pontos o telhado desabou. A contrução data de 1871.

Esta bela casa está dentro do pátio da rotunda e ainda é utilizada pela Prefeitura.

Outra casa muito simpática e antiga.

A pequena estação da Leopoldina tem o nome da cidade. A Leopoldina começava aí e seguia para o norte de Minas, passando pela cidade de Leopoldina, Cataguases, Ubá... Hoje esse prédio está fechado, depois de ter sido museu por algum tempo.

A estação de Porto Novo do Cunha, do outro lado da cidade em relação à estação da Leopoldina e a cerca de 2 km das oficinas onde estã a rotunda. Aí acaba a linha da Central (que em final dos anos 1960 passou para a Leopoldina). Belíssimos prédios, também de 1871, um deles em ruínas: era a estação de passageiros propriamente dita. O outro, em razoavel estado, era o armazem. No meio ainda passa o trem, sem parar.

Bela casinha. Atrás, o rio Paraiba do Sul. Ao fundo, os morros, no Estado do Rio.

A parte urbana da cidade. A cidade circunda os morros.

9 comentários:

  1. Excelente teu blog. Utilizei foto do extinto TIM santista pra ilustrar um post no meu sobre a velha promessa do VLT

    ResponderExcluir
  2. Impressionante, estive aí há quase 20 anos, e continua a mesma cidadezinha simpática!! E bom que a linha está ativa. Morei em Viçosa até 96, e lá a Leopoldina não teve a mesma sorte, ainda tem os trilhos, mas os trens ha muito não passam... uma pena, uma das mais belas ferrovias do país...

    ResponderExcluir
  3. Belas fotos, Ralph!
    Neste trabalho de resgate da história da ferrovia, é sempre um momento muito triste vermos prédios históricos maravilhosos serem destruídos pela ação do tempo dado ao total descaso daqueles que mais deveriam preservá-los.
    Parabéns pelos trabalhos maravilhosos que realiza! Nos intimam a permanecer na luta pela preservação da história ferroviária no Brasil.

    ResponderExcluir
  4. Ralph.

    Lembremos que, se Além Paraíba tem hoje trens no meio da rua, outrora já teve bondes elétricos circulando por suas vias. Essa cidade eu quero conhecer. Parabéns pela matéria e pelas fotos, e aproveito para pedir para você me indicar um hotel, hehe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Hotel chama Santinha Plaza Hotel. Apesar do nome, é ótimo. Parece que tem dois. Um, o que fiquei, é em frente a uma praça e do lado da estação de Alem Paraiba (a pequena, não a de Porto Novo). O hotel é ótimo e barato.

      Excluir
  5. Além Paraíba é caminho não só "para quem vai de carro de São Paulo (...) para o norte de Minas", mas também para quem vai para a Zona da Mata, Leste de MG, como Cataguases, cidade onde que fez (e faz) parte na história ferroviária do país, e que sempre visito quando posso...

    ResponderExcluir
  6. Estive hoje em Além Paraíba. Não ia lá há mais de 15 anos. E qual não foi minha decepção, mais uma vez, com a FCA ao ver o patrimônio deixado pela RFFSA totalmente destruído. As Oficinas de Porto Novo viraram sucata e um monte de escombros que dói. Uma lástima para uma oficina que já foi modelo um dia. Estive lá várias vezes a serviço nos anos 80 e me lembro da rotunda, das oficinas, da ferraria, da fundição, do escritório...tudo muito bem cuidado. Hoje, somente um monte de ruínas. Fico perplexo com o pouco caso público, que deveria transformar aquele local num museu ou algo parecido. Aproveitar a rotunda e tudo mais. A estação na praça está em condições de miséria e pede socorro. Havia uma turma trabalhando na troca de trilhos bem próximo a estação, e o trânsito parado. Os motoristas xingando e "p" da vida com isso. Ou seja, os trilhos que cortam a cidade (e que alí chegaram no final do século XIX quando ainda nem casas havia) não demoram ser arrancados um dia. Sim, porque infelizmente no Brasil, a ferrovia incomoda. Esquecem que ela trouxe o progresso e agora os malditos carros que correm sobre seus trilhos, se sentem ameaçados pelo trem. Vire e mexe tem um pedindo pro trem sair da cidade. Isso acontece em Além Paraíba, Cataguases, Juiz de Fora...e pelo Brasil afora. Como se o trem fosse o vilão. Fica aqui meu registro pelo que vi em Além Paraíba. Uma cena triste. Um lamentável fim que não demora (pelo menos enquanto existir bauxita nas minas em Cataguases), já que o trem que ali passa só transporta esta carga. O ramal de Cataguases para cima já foi fechado desde 1996. Os carros vão vencer a briga num pais sem memória e que odeia trens. Que deixa seu patrimônio ir pro chão e nada faz. Um dia alguém vai acordar e ver que é tarde demais para resgatar aquilo que deixaram acabar. Assim, não posso concordar meu amigo que digas que viu uma cidade bonita e bem cuidada. Não pode ser bonita uma cidade que não tem memória.

    ResponderExcluir
  7. Gostaria que colocasse algumas fotos da usina hidrelétrica de simplício, a qual é a empresa que mais gera renda para o município, a partir de sua inauguração em 06/6/13.

    ResponderExcluir
  8. Belas fotos!
    No meu blog tem algumas fotos antigas de Além Paraíba:
    http://thiagosilvaxavier.blogspot.com.br/p/blog-page_3.html

    ResponderExcluir