sexta-feira, 24 de julho de 2020

INCENDIOS EM ESTAÇÕES FERROVIÁRIAS BRASILEIRAS (2020)



Da esquerda para a direita: Piraí do Sul, PR, 2014; Arapoti, PR, 2017; Jundiaí Paulista, SP, 2014; Tranqueira, PS, entre 2002 e 2010;Adamantina, SP, 1999; Japeri, RJ, 2020; Rio Pardo, RS; Luz, SP, 2014. Tranqueira, Japeri e Rio Pardo aparecem ainda inteiras, antes dos incêndios.

No final da semana passada, ardeu em chamas mais uma estação ferroviária no Brasil.

Desta vez foi a de Japeri, antiga Belém, estação terminal dos trens de subúrbio fluminenses. O prédio que lá está, agora em ruínas, havia sido inaugurado em 1860 e o prédio, construído na mesma época, no estilo comum das estações dessa época, da E. F. D. Pedro II, depois Central do Brasil.

Há muitos anos ele estava posando como "velha estação", tendo a seu lado uma estação mais nova e mais funcional para os trens metropolitanos da Supervia, ex-CBTU, ex-FEPASA, ex-Central do Brasil, ex-vergonha na cara.. 

O problema é que o velho prédio esteve abandonado por décadas. Há um ano resolveram restaurá-lo todo. Ficou ótimo, pelo menos externamente.

A mentalidade burra e descuidada dos vagabundos de plantão, no entanto, condenou-a a um incêndio do tipo "ninguém-sabe-ninguém-viu" na noite de sábado.

Fiz uma pequena lista das estações desaparecidas com incêndios dos últimos 21 anos. Tenho certeza que há outras que tiveram o mesmo fim, mas, na hora, só me lembrei destas.

De todas essas, apenas uma foi recuperada. A da Luz. Mesmo porque o prédio é operacional. Prédio, aliás, de 1902, com um terceiro andar adicionado a ele em 1946, quando outro incêndio destruiu boa parte do prédio então existente.


Um comentário:

  1. Águas Virtuosas-SPM pegou fogo, Biagipolis-SPM foi demolida pela Usina da Pedra.

    ResponderExcluir