segunda-feira, 10 de junho de 2013

AURELIANO MOURÃO, UM LOCAL PERDIDO EM MINAS

A estação de Aureliano Beltrão
A estação ferroviária de Aureliano Mourão, Minas Gerais, foi por setenta e nove anos (1887-1966) o entroncamento de três linhas de bitola estreita - 0,76 cm, diferente de todas as outras ferrovias brasileiras. Nos anos seguintes, até a extinção dos trens da "bitolinha" (1966-1984), passou a ser seu ponto final, para a linha que sobrou, vinda de Antonio Carlos. Eram 202 km de percurso.

A partir de 1940, a estação original foi substituída pela atual, em forma de triângulo curvilíneo côncavo, como poucas outras no Brasil (General Carneiro, Entroncamento, Cordeiropolis (esta,em parte)).
Casa da vila, datada de 1894
Segundo o escritor Tarcisio Dias da Silva, o novo prédio, em forma de triângulo, facilitava as baldeações. Os trens que chegavam de São João del Rey entravam pela direita do prédio e dali seguiam para Divinópolis. Os que vinham desta cidade seguiam para Lavras, e os que vinham de Lavras seguiam para São João del Rey. O horário era fixado para que chegassem na mesma hora. Quando tudo dava certo, o movimento na estação era impressionante.

A linha de 1966 foi uma retificação e ampliação de bitola que ligava Lavras a Divinópolis, deixando a estação fora da linha por uma pequena distância. Por isso ela ficou com a bitolinha somente e uma ligação com a linha nova, que hoje não existe mais. Somente para constar: eram 2 horas e meia de Aureliano Mourão té Lavras, 6 horas e 20 minutos até Divinopolis e 4 horas até São João del Rey. Em bitola estreita, devia chacoalhar muito. As locomotivas a vapor seguiram pela bitolinha até seu fim, em 1984.
Ponte do Inferno, próxima à vila e por onde passava a linha até 1984, sobre o rio das Mortes.
Em novembro de 2012, recebi algumas bonitas fotos do local, que, infelizmente, não conheço pessoalmente. Há uma pequena vila em volta (o local pertence ao município mineiro de Bonsucesso e fica próximo a Lavras). Fica também junto ao rio das Mortes. Apreciem as fotos, enviadas de Belo Horizonte por Fernando Villamarim.

2 comentários:

  1. Na postagem original o nome saiu como Aureliano Beltrão, um erro grosseiro de minha parte, que estou carreca de saber que era Mourão. Infelizmente a cabeça da gente Às vezes viaja, fixa-se num outro nome e saiu a besteira que saiu. Está corrigido, se bem que no link da postagem o nome errado continua. Obrigado ao Ricardo pelo comentário, aqui não postado.

    ResponderExcluir
  2. Ralph bom dia.

    Veja esse blog http://fotoshistoricasmirandopolis.blogspot.com.br/search?updated-max=2012-04-26T21:39:00-03:00&max-results=20&start=21&by-date=false

    Tem muitas fotos antigas em boa resolução na região de Mirandópolis-SP

    ResponderExcluir